quarta-feira, 12 de abril de 2017

Baby Boss (2017)

O trailer deste filme preparou-me para algo bem melhor. Escolher bebés rechonchudos para protagonistas de filmes é uma aposta segura no sucesso. Se o argumento geral é bom, o seu desenvolvimento deixa a desejar. Salvador da Bahia 3/5

Smurfs: The Lost Village (2017)

Os Smurfs foram publicados pela primeira vez em 1958, sendo uma criação do belga Peyo. Nunca mais deixaram de ressuscitar nos mais diversos meios criativos, como o cinema. Em Smurfs: The Lost Village (2017), descobrimos uma nova aldeia de smurfs, ameaçada pela perseguição de um feiticeiro que os quer destruir. Os smurfs que já conhecíamos vão ajudar os da sua espécie. Divertido e eficaz mas rotineiro. Salvador da Bahia 3/5

domingo, 12 de março de 2017

Peter Pan (1953)

Peter Pan, a personagem, foi criada em 1902 por J. M. Barrie e protagonizou a peça Peter Pan, or The Boy Who Wouldn't Grow Up, de 1904. Foi esta obra que Walt Disney adaptou para realizar a sua 14a longa-metragem de animação. O filme, um enorme sucesso artístico e comercial, alcançou outro patamar de sucesso: universalizou ainda mais este herói que entrou para a cultura popular. Vi o filme numa sala cheia de crianças cuja reação, de maravilhamento e excitação, estará perto daquilo que  Walt Disney idealizou quando concebeu o filme. Uma obra única. Paris 5/5

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Comentário: The Secret of NIMH (Don Bluth, 1982)

The Secret of NIMH (1982) é a primeira longa metragem de animação de Don Bluth, que muito marcou esta área de cinema nos anos 80. No centro da história temos uma família de ratos em perigo, com uma mãe heroína a tentar salvar os seus pequenos da ameaça dos donos do campo onde eles vivem. O filme é famoso por aliar uma história típica da Disney (onde anteriormente Don Bluth tinha trabalhado) a elementos do género heroic fantasy. Muitas cenas são noturnas e de interior (debaixo da terra), o que dá ao filme uma tonalidade negra que surpreendeu todos quando foi estreado. Mais um clássico da animação que em boa hora é reposto nas salas francesas. Paris 4/5

Comentário: The Fox and the Hound (Disney, 1981)

Já se passaram muitos anos, mas The Fox and the Hound, que em Portugal se chama Papuça e Dentuça, mantém uma frescura notável. Acompanhamos a história da amizade entre um cão (de caça) e uma reposa, que se conhecem ainda bebés. A natureza antagónica das suas espécies não consegue anular essa amizade. O filme faz lembrar muitas séries que têm como protagonistas animais que vivem na floresta e nele vemos até a sucessão das estações e a mudança da paleta de cores dominantes. A beleza do desenho é um dos grandes trunfos do filme. Mais um clássico da Disney. Paris 4/5

domingo, 25 de dezembro de 2016

Cinema de animação em 2016

Em 2016, vi muitos e bons filmes de animação. Foram sobretudo filmes de autor (do russo Garri Bardine, do japonês Mamoru Hosoda e dos franceses Jean-François Laguionie e Sébastien Laudenbach) enquanto os filmes dos grandes estúdios foram descobertas do passado (a excepção é The Secret Life of Pets). 
The Iron Giant (EUA, 1999)  
A Bela Adormecida (EUA, 1959)  
Le Vilain petit canard (Rússia, 2010) 
O Rapaz e o Monstro (Japão, 2015)  
An American Tail (Fievel) (EUA, 1986)  
The Secret Life of Pets (EUA, 2016)  
Louise en hiver (França, 2016)  
La Jeune Fille sans mains (França, 2016)  
La Tortue Rouge (França, 2016) 
Belladonna (Japão, 1973)

The Iron Giant (EUA, 1999)
Belladonna (Japão, 1973)

Le Vilain petit canard (Rússia, 2010) 

The Secret Life of Pets (EUA, 2016) 

An American Tail (Fievel) (EUA, 1986) 

A Bela Adormecida (EUA, 1959) 

Louise en hiver (França, 2016)

La Jeune Fille sans mains (França, 2016) 

La Tortue Rouge (França, 2016) 

O Rapaz e o Monstro (Japão, 2015)