domingo, 13 de agosto de 2017

Comentário: Lilo & Stitch (Disney, 2002)

Há filmes, como Lilo & Stitch, cujo principal interesse reside nas personagens e na apresentação inicial da trama; e o interesse cai assim que a ação propriamente dita começa. Lilo é uma menina havaiana rebelde e mal comportada, que vive aos cuidados da irmã mais velha. Stitch é um monstrinho extraterrestre, destruidor por natureza (criação), que será adotado por Lilo, que o toma por um cão. Lilo vai ter com ele os mesmos problemas que a irmã e os seus colegas têm com ela. A primeira parte do filme, dominada pelo registo do slapstick, em que Lilo e Stitch fazem das suas, é sem dúvida a melhor. Depois há o inevitável desenvolvimento dramático que é um pouco previsível: os habitantes do planeta de Stitch tentam recuperá-lo e as autoridades da segurança social tentam retirar Lilo das mãos da irmã. A ação acelera, mas o melhor do filme já era. VC 3,5/5

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Comentário: Despicable Me 3 (Gru o Maldisposto 3, 2017)

Afinal Gru tem um irmão gémeo, que quer seguir a tradição vilã da família, mas não pode contar com Gru, que trabalha para o bem dos outros. Não fora Balthazar Bratt, o inimigo dos dois irmãos nesta história, o filme seria um bocejo do princípio ao fim... PV cinema Garrett 2/5

terça-feira, 18 de julho de 2017

Comentário: Sininho Salva as Fadas (2010)

Desta vez as fadas encontram os humanos. Sininho desenvolve uma relação amiga com uma menina solitária, a quem o pai não presta atenção. Mas o contacto com os homens tem os seus perigos, que Sininho e as outras fadas vão ter de enfrentar. DVD 3/5

terça-feira, 27 de junho de 2017

Comentário: Le Grand Méchant Renard et autres contes (2017)

Uma quinta rodeada pela floresta, dois mundos estranhos, habitados por animais de natureza diferente. Os lobos e as raposas perseguem os animais da quinta e estes temem aqueles. Mas nestes três filmes tudo é contado com bastante humor e o desenho é simplesmente admirável. Paris 3,5/5

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Comentário: Uma viagem pessoal pelo cinema de animação francês (Cinémathèque, 2017)


Laurent Valière lança o livro La French Touch (éditions La Martinière, 2017) e aproveita, a partir de convite da Cinémathèque Française, para propor uma antolgia de obras fundamentais (curta-metragem) na história do cinema de animação francês. Eis os felizes contemplados. Paris 3/5

Fantasmagorie Émile (1908), de Emile Cohl 

Les Déboires d'un piéton Robert Lortac, Landelle (1922), de Lortac, Landelle

Baudet, Poudre antimite : La Mite au Logis (1919), de Robert Lortac

La Joie de vivre (1934), de Anthony Gross, Hector Hoppin

Le Voleur de paratonnerres (1944), de Paul Grimault

Les Dents du singe (1960), de René Laloux

Les Trois inventeurs (1979), de Michel Ocelot

Journal (1998), de Sébastien Laudenbach

Skhizein (2007), de Jérémy Clapin

Raging Blues (2004), de Winshluss et Lyonnel Mathieu

 À quoi ça sert l'amour ? (2004), de Louis Clichy

terça-feira, 13 de junho de 2017

Comentário: Ernest et Celestine (2012)

Esta história da amizade entre um urso e uma ratinha é simplesmente admirável quanto ao argumento (de Daniel Pennac, com base nos livros de Gabrielle Vincent) e quanto ao desenho. Realizado por Benjamin Renner, Stéphane Aubier, Vincent Patar. Um clássico moderno co-produzido pela França, Luxemburgo e Bélgica. Paris 4/5

Comentário: La Balade de Babouchka (2012)

La Balade de Babouchka é uma antologia de quatro contos que pretendem mostrar o património cultural russo. Os contos fazem parte da série "La Montagne des Joyaux" (2004-2011, 52 filmes), dedicada aos contos folclóricos da Rússia. Em França foram estreadas nas salas duas antologias desta fantástica produção pouco conhecida fora da Rússia. Os filmes são simplesmente soberbos. Paris 2013 & 2017 5/5

Programa estreado em França em dezembro de 2012
Zhiharka (Oleg Uzhinov, 2006)

Le Rossignol (Alexander Tatarsky, 2006)

Histoire d'Ours (Mihkail Aldashin, 2007)

La Maison de biquetes (Eduard Nazarov e Marina Karpova, 2009)